Arquivo

Archive for setembro \14\UTC 2006

The Libs

14 / setembro / 2006 Deixe um comentário

Todo o grupo volta a se encontrar na taverna, e devido à má vontade de Hagen, os demais contam pouco sobre o encontro com Karlas. O grupo janta e vai dormir, mas Lauren tem medo de dormir sozinha, e Skaff se oferece para velar seu sono.
Pela manhã, Lauren descobre a porta do quarto de Hagen aberta, arrombada. O investigador, após vasculhar tudo, encontra um anel de mulher de ouro sob seu travesseiro, com o nome Joana gravado, o nome da primeira das vitimas do assassino na cidade. Victor avisa para não ser interrompido, enquanto identifica a máscara de Lauren no quarto, e descobre que sua maldição é “comum”. Ambos descem para o salão de refeições após uma hora, e o arquivista demonstra um enorme sorriso de satisfação estampado em seu rosto pelo trabalho bem feito, o que é mal compreendido e acaba com a pouca reputação da ladra.
O grupo sai para coletar informações, e o investigador decide conseguir um mapa da cidade. No cartógrafo, ele fica sabendo que a prefeitura possui mapas, mas lá ele acaba não conseguindo seu intento porque não se presta a pagar propina para os guardas. De volta no cartógrafo, ele encomenda um mapa por 10po pronto daqui a 4 dias.
Investigando a casa da primeira vitima, encontram apenas seus filhos e descobrem que seus pais trabalhavam nos campos da família Libs, que a mulher era pobre demais para comprar um anel e que nenhum dos filhos jamais viu anel algum.
Na casa da moça desaparecida, encontram seu pai, ele parece explorar a filha e diz que ela fugiu de casa para não “ajudá-lo com as despesas”. Ela recentemente começara a trabalhar como camareira na mansão dos Libs, tem 14 anos e sumiu a 3 dias.

Anúncios
Categorias:Resumo - Igor

O Coração Recheado e A Fera

10 / setembro / 2006 Deixe um comentário

Todos pedem pratos para jantar, e continuam a conversar (coisa leve e corriqueira: princípios arcanos, natureza do bem e mal, existência de outros planos…). Quang Fei, que não tem interesse nas discussões, nota um homem encapuzado mas bem vestido olhando na direção da mesa deles. Ele vai comprar bebida no balcão e para convidar o homem para juntar-se a eles. O homem recusa a oferta, sem olhar para Quang, escondendo o rosto no capuz. Tudo o que o monge consegue é perceber que ele fala de modo estranho, como se tivesse algo na boca (o chinês não é capaz de perceber diferença de sotaque), o homem diz se chamar Marcos.
Quando a comida chega, Hagen nota que o prato de Lauren é diferente dos demais. Lauren, ao abrir encontra um símbolo de Malar de bronze dentro do assado. Após muitos palpites e observações, Victor chega à conclusão de que é um coração humano assado. Lauren descreve o Dr. Havard, seu antigo colaborador, um homem de meia idade, cabelos e barbas grisalhos e desgrenhados, e conta que ela pensou que o havia matado.
Hagen chama um guarda e manda trazerem o cozinheiro e o taverneiro até a mesa, onde descobre que “Marcos” havia pago esse prato diferenciado (que o taverneiro acreditava ser coração recheado apenas) para Lauren e que ele tinha pego a bandeja na mesa da cozinha, mas o cozinheiro disse que o coração que foi pedido a ele ainda estava assando, pois era um prato demorado. O guarda leva o cozinheiro preso como suspeito.
Hagen tenta rastrear Marcos pela cidade, mas descobre que ele saiu da cidade pelos pastos, e devido a perigos naturais do local, não seria sensato tentar persegui-lo. O resto do grupo, que seguiu com ele até ali, decide se separar para encontrar pistas. Hagen, Skaff e Rurik vão até o encarregado chefe da guarda Garret para conseguir endereços e nomes sobre as vitimas do assassino, assim com os locais onde os corpos foram encontrados.

Victor, Lauren e Quang saem para colher informações com as pessoas da cidade. Victor faz perguntas principalmente para as fofoqueiras de janela, e descobre que há uma moça de 14 anos desaparecida (as vitimas tinham em torno de 15 a 30 anos). Lauren e Quang perguntam aos mendigos sobre outros moradores de rua desaparecidos, o que se mostra meio complicado, pois muitos estão “desaparecidos”, mas são encontrados em outros pontos da cidade. Entre tanta informação de pouca credibilidade, descobrem que há uma testemunha do assassinato do mendigo devorado.
Seguindo as indicações dos mendigos, os três chegam até a ponte debaixo da qual está a testemunha. É um homem de cabelos e pele escura, vestido como um cigano, mas com as roupas velhas e desgastadas, com um brinco de ouro na orelha esquerda. Quando se aproximam dele, Lauren percebe que ele retira uma adaga e a esconde na mão. Victor percebe que ele é um vistani, ou meio-vistani, o que não é nada bom devido a seu estado social.
Ele se identifica como Karlas, e diz realmente ter visto o assassino, que está assustado com o que viu e só conta algo se prometerem não envolvê-lo na história. Ele conta que uma espécie de lobo gigante matou o mendigo, e logo após, tornou-se um homem nu, de cabelos cinzentos como a pelagem do lobo, que sadicamente retirou o coração do corpo da vitima. Karlas guardou a adaga e retirou um taroka de sua bolsa, retirou uma carta e disse: “É sempre ela, a fera.”. Ele disse que iria embora, convocaria as brumas para levá-lo embora, e perguntou se eles queriam acompanhá-lo. Quando todos agradeceram e estavam indo, ele retira mais uma carta: “Moça,… o Darklord, um mal presságio.”. Com isso, o grupo atrasa sua saída e pede que ele tire a sorte para eles. Conforme ele tira as cartas, Lauren e Victor notam um sexto dedo na mão de Karlas, e Victor começa a crer que ele seja um Dukkar.

As Cartas:

As três primeiras formam o foco da leitura do destino do grupo:
– A Fera: “é sempre ela, a fera”
– O Lorde Negro: “um mal presságio, um grande mal”
– O Cavaleiro: “Alguém vindo de muito longe irá cruzar o caminho de vocês”

As quatro próximas cartas dão uma visão geral dos detalhes do todo:
– O Adivinho: “um entre vocês é capaz de desvendar o futuro e o passado, mas sem o auxilio da arte”
– O Missionário: “O Missionário leva mudança às terras por onde passa… sua empreitada pode trazer mudanças às terras do mundo”
– O Enforcado: “mostra um destino ruim para vocês, mas lembrem-se que mesmo um homem que caminha para a morte na forca, necessariamente não chegou a seu fim”
– O Coletor de Impostos: “vocês serão obrigados a abrir mão de algo que lhes é muito caro”

As próximas duas cartas dizem respeito a um futuro próximo:
– O Vidente: “um outro vidente aparecerá no futuro, e será capaz de ajudá-los, se vocês forem capazes de encontrá-lo”
– O Abjurador: “Um feiticeiro poderoso oferecerá a vocês a sua proteção, vocês deverão escolher aceitar ou não sua ajuda”

A última carta é a mais importante, diz respeito a razão de todo o seu destino:
– A Marionete: “pessoas mais poderosas que vocês manipulam os acontecimentos, cabe a vocês reconhecerem o momento correto de cortar os cordões”

Categorias:Resumo - Igor

Despertar do Medo, parte II: Gato e Rato

1 / setembro / 2006 Deixe um comentário
A conversa não leva a nenhuma decisão certa. Hagen demonstra que ficará na cidade até resolver o mistério dos assassinatos, os demais parecem querer acompanhá-lo. Hagen descobre que passaram-se 15 dias desde sua visita ao mesmerista traidor. À noite, Lauren e Hagen ouvem uivos fortes e distantes da estalagem.
Pela manhã, os aventureiros se encontram para o café, menos Quang, que havia saído para mendigar. Na rua, Quang fica sabendo de um assassinato, e chegando ao local percebe tratar-se de uma cena muito violenta. Ele chama os demais, e quando Hagen e Victor chegam para investigar percebem que o homem, um morador de rua, foi destroçado por uma criatura canina de tamanho gigantesco. A criatura parece ter se “divertido” com o corpo, arrastando-o por toda a praça, além de ter devorado parte das entranhas da vítima (havia apenas parte do fígado e nenhum coração). Victor e Lauren acreditam poder se tratar de um lobisomem, mas nada dizem.
Hagen e Skaff vão até o homem responsável pela guarda da cidade, Garret, um homem de meia idade e pouco refinamento. Ele fica surpreso pelo retorno deles, achando que eles já haviam abandonado o caso, mas fica meio descrente quando eles dizem ter estado com o Dr. Ilhousen. Ainda assim, os permite de novo no caso dos assassinatos, e informa que mais dois corpos, quase sem sangue como os outros, foram encontrados mas desta vez, essas pessoas foram dadas como desaparecidas por dias. Nos corpos foram vistas marcas de tortura (cortes, lacerações, hematomas, etc.). Hagen cita o uso de uma mascara pelo assassino, mas não revela como ela é.
Lauren, Victor, Quang e Rurik ficam conversando à espera dos demais. O arquivista conta muito de sua história e de seus planos para eles, e demonstra poder realizar magias de origem divina (criar água), mas quando indagado se era um clérigo diz que não. Lauren pergunta a Rurik se seu “totem lobo” pode se materializar como o corvo de Caminha Sozinho, mas ele diz não saber. Hagen e Skaff chegam à estalagem para almoçar com os demais.
Categorias:Resumo - Igor