Arquivo

Archive for abril \26\UTC 2008

[24:30h – Consulta com Dr. Harvard]

26 / abril / 2008 Deixe um comentário

Como eu estava dizendo.. nós estavamos sob suspeita de sequestrar crianças então ficaríamos presos.

Graças a uma argumentação com o chefe dos vigias da cidade ele deixou que a maioria fosse e pudesse acampar foras dos limites da vila contanto que um refem ficasse ali preso até a audiencia pela manhã.

Para que a briga nem começasse Lauren se ofereceu. E para não deixá-la sozinha o monge Quang se ofereceu para ficar ali junto dela.

A primeira meia hora correu tranquila, o grupo ajeitou-se fora da cerca, acenderam a fogueira, acertarqam os turnos; Quang ajeitou-se na cela e Lauren sentou-se num canto emburrada pq deixou tudo o que tinha fora da cela (exceto pela moeda de prata, é claro).

Quando chegou na ronda feita por Willian é que os problemas realmente começaram.

O clérigo escutou um barulho vindo da barraca do viajante Jack Stuart.
Parecia que havia alguém em pé lá dentro. Willian pediu para que a pessoa saisse.

A pessoa então respondeu algo como: Tem certeza que é isso que você quer?

O clérigo pediu que Lawgiver guiasse seu golpe e atacou a silhueta daquela figura. Foi nesse momento que a barraca começou a se desprender do chão e aquilo que estava lá dentro se transformou em um monstro peludo e com garras. O monstro carregava Jack nos ombros, um símbolo de Malar e dizia “Vá em frente clérigo de Bane..!”.

Quando Willian recebeu um golpe ele foi tomado pelo desesperou gritou por ajuda e tentou se afastar porque sabia que se fosse atacado por aquele monstro corria o risco de se tornar como ele.

Quem acordou e veio ajudá-lo foi Rurik o bárbaro. Com a sede de uma velha vingança Rurik foi ajudado pelas magias de Victor, e ficou do tamanho necessário para causar tanta dor a Harvard quanto ele merecia. Rurik o golpeou com tanta força que fez Harvard cambalear. Ele uivou e aguentou mais 1 ou 2 golpes até apelar para suas magias divinas mais terriveis…

Primeiro Harvard fez crescer do chão uma coluna de chamas para afastar o bárbaro de combate e então com um grito que mais parecia ódio e dor todos que o ouviram ficaram paralisados, os animais morreram como se a dor os tivesse atingido e como mais tarde iriamos descobrir Durval nosso guia também.

Harvard então aproveitando-se do tempo que sua magia lhe concedia arrancou da mão de Rurik a maça coberta de prata que o havia ferido tanto e para que isso não se repetisse novamente dizendo “Vamos ver se você bate tão forte da próxima vez” arrancou a mão esquerda do bárbaro de seu braço numa só mordida e a mastigou em sua frente cuspindo um anel.

Ele virou as costas para seus adversários vencidos e entrou na floresta carregando Jack.

Minutos depois Victor e Skaff correm para ajudar Rurik que jorrava sangue negro do lugar de sua mão decepada. Depois de contido o sangramento Skaff iria encontrar Willian próximo ao portão tentando se recompor do medo.

O grupo pensa em ir atrás de Harvard para tentar resgatar Jack, mas precisam de Quang e Lauren com eles.

Victor vai novamente até a guarda quando um dos vigias abre uma portinhola para ver o que acontecia ali…

Este guarda foi enviado pelos pedidos de Lauren e Quang. Lauren tinha visto a coluna de chamas e escutado os uivos de Harvard. Pediu então que Rocky fosse ate o acampamento e ficou desesperada com a situação que viu lá, todos os animais mortos, um corpo e a mão de Rurik.

Victor ao vir até a guarda conseguiu com que o chefe do conselho Kardan, viesse conversar. Entretanto até esse ponto da história o que se conseguiu foi a liberdade de Quang e a incerteza de que se o circo chegar a cidade ele servirá de prova de que o grupo nunca esteve ali antes.

Enquanto isso Lauren aguarda na sela, esperando pela primeira brecha para sair dali, coisa que o monge nunca faria se fosse ele o unico a ficar preso.

Atualmente:
-Jack no mato com o Harvard
-Lauren presa
-Cavalos mortos
-Durval morto
-Grupo no acampamento

Categorias:Resumo

Vale das Flores

19 / abril / 2008 Deixe um comentário

Continuando a viagem, depois de uma noite de ataques por lobos, conseguimos descançar um pouco e chegar à uma vila perto da hora do almoço.

No Vale das Flores nós enfim encontramos seres humanos. Os seres humanos são animais mamíferos, bípedes, que se distinguem dos outros mamíferos, como a baleia, ou bípedes, como a galinha, principalmente por duas características: o telencéfalo altamente desenvolvido e o polegar opositor.

O telencéfalo altamente desenvolvido permite aos seres humanos armazenar informações, relacioná-las, processá-las e entendê-las. O polegar opositor permite aos seres humanos o movimento de pinça dos dedos o que, por sua vez, permite a manipulação de precisão.

O telencéfalo altamente desenvolvido, combinado com a capacidade de fazer o movimento de pinça com os dedos, deu ao ser humano a possibilidade de realizar um sem número de melhoramentos em seu planeta, entre eles, cultivar tomates.

Mas até onde averiguamos não havia tomate no Vale das Flores, nem porcos, nem flores, nem a prova de historia de alguém, nem um japonês. Havia sim uma casa comunal onde Quang, Willian e Lauren entraram.

Havia uma mulher cantando uma música quase hipnótica. E pessoas bebendo uma coisa estranha que pela coloração parecia mais com sangue do que qualquer outra coisa.

Willian queria falar com o lider do lugar e nos foi a presentado o Meistersinger, conversamos muito com ele, apesar que ao final parecia que nós haviamos dito muito mas ele muito pouco. Disse ser um homem que viajou bastante pela Terra das Brumas.

Ao saber que a maioria de nós sequer pertencia a essas terras, nos contou sobre uma máquina localizada em Darkon que segundo os rumores é capaz de levar pessoas para fora da Terra das Brumas.

E para nos ajudar com os lobos, o bardo nos contou sobre a existencia de uma planta, Nightblight, um aconito que os afasta. Entretanto essa planta é impossivel de ser transportada por muito tempo. A verdade é que a planta só os afasta enquanto está viva, plantada no chão, então mesmo que a encontrassemos nas DEAD HILLS (dumm dummm dummm DUMMM!!), elas nao iriam durar.

Eu penso que os lobos não chegam perto é das Dead Hills e não perto das plantas, mas não tive tempo de argumentar com o Meistersinger.

Seguimos ainda a estrada até anoitecer. Por sorte encontramos uma vila toda cercada e que parecia bem segura para nos abrigar. Quang e Lauren chegaram próximos ao portão chamaram pelos moradores mas ninguém os atendeu. Quang ia pular o muro para abrir o portão e deixar as explicações e desculpas para o outro dia, quando o clérigo do Legislador tentou chamar a atenção das pessoas da vila de uma forma exagerada. Ele criou uma esfera de luz flutuante que ficou pairando acima da vila. Foi neste momento que Quang viu alguém sair correndo de perto da cerca para o centro da cidade.

Com mais medo dos lobos do que das pessoas nós nos acomodamos dentro da vila até que avistassemos pontos de luz se aproximando, ou muitas pessoas carregando tochas e vindo em nossa direção.

Quang e Lauren foram recebê-los, nos acusaram de trazer um feiticeiro conosco (se referindo a luz estranha) e disseram que todos deviam ir até a guarda conversar.

Deixamos apenas Skaff na carroça (por causa de suas asas), e dissemos que se alguém se aproximasse que voasse para longe, mas isso não foi necessário.

Na guarda ficamos sabendo que crianças tem desaparecido e nós agora eramos suspeitos dos crimes e que ficariamos ali presos ate que tudo pudesse ser esclarecido. É óbvio que poucos ali se sujeitariam a prisão então por muita sorte (valeu Tymora \o/) Rurik deu um voto de confiança a Lauren antes que começasse a abrir caminho a base de sangue para fora da guarda…

PS: do bardo feliz

O bardo além de tudo era um ótimo desenhista, olhem só a aparência da Nightblight que ele disse pra gente achar nas colinas malvadas.

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/6f/Aconitum_septentrionale.jpg

Ilha das Flores

O Aureo disse que se eu não colocasse o link aqui ninguém ia entender a piada então …
aproveitem.. o/

http://www.putsgrilo.com/2007/08/12/ilha-das-flores-o-capitalismo-documentado/

Categorias:Resumo

Kartakas

13 / abril / 2008 Deixe um comentário

Depois da decepção pelo fato que a morte de Ilia não resolveu o problema da alma do Sr. Galakir, Skaff ainda tenta descobrir uma maneira para despertar os poderes da armadura. Os ritos envolvem uma espécie de oferenda, mas ainda não sabe concretamente como agradar Heironius para que ele conceda os poderes para a armadura.

Um dia se passa. A maior parte do grupo esta descançando e ainda se recuperando.

Lauren vai ate a cidade buscar suas encomendas de armas de prata. Lá os vendedores comentam sobre um ataque de lobisomen na cidade, e um deles chega a perguntar se ela encomendou as armas por isso (ah! Rurik ganha então uma maça revestida de prata!). Eles colocam a culpa do ataque nos vistanis do circo, e mais tarde uma confusão gigante se forma entre as tendas. O povo vai até lá tomar satisfação dos ocorridos.
Lauren corre e avisa a todos q pode e manda transmitirem o recado: todo mundo reunido no acampamento o mais rapido possivel e retirando suas coisas! A confusão ja começou no circo!

Ela fica observando a confusão até que Isolda aparece. Pensando no que Pacalli disse, ela segue a lider do circo, mas Isolda percebe e a encara em uma das ruas.

Depois de umas farpas básicas, a ladina descobre que eles pretendem ir direto para o sul. E após uma discussão com Rurik e Skaff, nós decidimos continuar com o circo até passar a fronteira da Baróvia.

Mas na noite anterior a partida Lauren recebe uma visita: Harvard. ele vem perguntar se ela gostou do presente (do ataque na vila), e se vai precisar começar a eliminar as pessoas que não são necessárias no grupo pra ela começar a se apressar.
Ele vai embora e deixa seu cheiro, fazendo com que Rurik saiba que ele esteve ali.

Na manhã seguinte partimos…

Segundo Durval, Kartakas é um lugar menos civilizado que a Baróvia, mas só percebemos o que ele queria dizer quando chegamos lá e somos cercados por brumas a noite e atacados por um bando de lobos.

Categorias:Resumo