Arquivo

Archive for julho \28\UTC 2008

EIRPG XVI

28 / julho / 2008 4 comentários

XVI ENCONTRO DE RPG

LOCAL: MEMORIAL DE CURITIBA
DIAS: 2 E 3 DE AGOSTO – 13 ÀS 22 HORAS

Sábado – 02/08
13:00 – Torneio de Vampire: the eternal struggle– classificatório para o sul-americano
Informações com Eduardo Hayashi por e-mail eduardo@suisse.com ou telefone (41) 9644-7022
14:00 às 22:00 – Demonstração de miniaturas: Senhor dos Anéis e Warhammer
14:00 às 22:00 – Mesas de RPG
– Mesas especiais de Lobisomem: os Destituídos com o pessoal da Camarilla
– Mesas da RPGA, com as aventuras Return to the Moathouse e Death in the Skyfire Wastes
15:00 – Torneio de Pokémon – Formato: HP-ON
15:00 – Torneio de L5R
16:00 – Bate-papo: Mesa de Vidro com D3 (D3System) e Bruno Peres
17:00 – Encontro Paranaense de Blogs de RPG coordenado por Bruno Peres
17:30 – Quizz com premiação
18:30 às 22:00 – Live action de Vampiro: o Réquiem
– A distribuição de personagens será feita no local e no mesmo dia.

Domingo – 03/08

14:00 às 22:00 – Mesas de RPG
14:00 às 22:00 – Demonstração de miniaturas de Senhor dos Anéis e Warhammer
14:00 – Torneio de Magic: the Gathering
– Formato extended
14:00 – Torneio de Yu-gi-oh!
15:00 – Mesa redonda: Ai se meus dados falassem! as atrocidades vividas nas mesas de RPG, com Caco, D3 e Felipe Pacca
16:00 – Quizz com premiação
17:30 – Palestra 34 anos e 4 edições de D&D: a história do primeiro RPG, com Daniel Lira

Anúncios
Categorias:OFF

Despedidas

20 / julho / 2008 Deixe um comentário

Na manha seguinte, todos tentam voltar a rotina..

Victor que não pode aparecer na cidade, vai com Skaff até o circo procurar por Quang Fei e tentar encontrar vistanis que possam nos ajudar a sair de Kartakas.

Willian e Rurik vão buscar a carroça que estava guardada pelo Meistsinger. O bárbaro também adquire algumas ferramentas de ferreiro, um tanto usadas mas em estado ainda útil.

Lauren vai a procura de cavalos para comprar. Ela encontra a oferta de um velho que pode vendê-los um cavalo magro e uma mula. Ela diz que voltará depois. Tenta encontrar outras montarias na cidade, mas ninguém parece querer vender nada. Numa das famílias que possui um bom cavalo, ela diz que paga mais que o cavalo pode valer, “posso pagar até o triplo do que ele vale”. Ela esquece por um momento de sua maldição e só consegue lembrar dela quando o senhor aceita e sua familia fica horrorizada. Algumas crianças se assustam e choram, o casal não entende muito bem o que há de errado com a mulher, e Lauren sente gosto de sangue nos seus lábios. Ela sai correndo com a mão no rosto em direção ao acampamento deixando um rastro de sangue na neve.

Rurik percebe e vai falar com ela enquanto sangue se empoça nas bordas da barraca. Lauren conta o que aconteceu, que tentou dar preço a um cavalo e começou a chorar. Ela sabe que não há nada que possa fazer isso parar a não ser o tempo. Ela manda Rurik e todos que se aproximam embora e fica ‘chorando’ sozinha.

Victor chega do circo com a notícia de que Quang Fei não voltará mais de lá. “Cada um tem seu próprio Karma, e o de alguns podem atrapalhar o dele”.

Também diz que encontrou um grupo de vistanis que podem nos levar direto para Sithicus, mas agora temos um problema. Eles não vão querer levar Lauren se desconfiarem que ela está sofrendo s efeitos de uma maldição vistani.

A quantidade de sangue aumenta e já não pode ser escondida. Skaff acompanha Lauren até a floresta e fica lá enquanto os dois observam o sangue escorrer.

Victor conversa com Rurik e conta que há uma possibilidade de tudo isso parar, mas que nunca pediria a Skaff que pusesse fim ao problema. Paladinos como ele podem pegar para si o castigo das maldições de outras pessoas se eles desejarem livrar alguém delas.

Rurik não sente a mesma parcela de culpa em fazê-lo, então encontra Skaff junto de Lauren e conta o que pode ser feito. Skaff fala com Victor no acampamento que, ainda que temeroso, explica como Skaff pode retirar a maldição de Lauren, para que quando os vistanis o vejam, entendam que maldição não é propriamente do paladino, mas sim de alguém que um cavaleiro sagrado quis ajudar.

Skaff se aproxima de Lauren no bosque e não responde as suas perguntas. Ele ora por um instante e deseja que a maldição venha para si. De cabeça baixa começa a sentir o calor do sange escorrer pelo rosto. O sangue faz com que sua armadura fique vermelha e em sua mão agora surge uma moeda de prata.

Lauren e Skaff voltam para o acampamento. A ladina arruma roupas limpas e vai até o circo procurar por Quang Fei, para que ele se despeça dos demais antes que nos afastemos do circo.

No momento da despedida, Skaff também diz que irá embora. Ele acha que a cada momento nós acumulamos mais e mais problemas e não cosneguimos resolver os que já existem. Ele precisa encontrar uma forma de livrar a alma de seu pai da armadura. Portanto, o paladino voltará para Tovag.

Marx descobre que a tribo vistani que nos levará pelas brumas é sua antiga tribo. Eles brigam com o mago por ele ter largado a sua tribo após fazer a vistoria na cidade, então Marx diz que “Talvez não seja da sua tribo”. Eles ‘compreendem’ e avisam que daqui para frente ele será tratado como um giorgio e que esta decisão não terá mais volta.

Lauren fica triste, pois acha que tem muita influência na decisão de Quang e Skaff irem embora, ainda mais pelo paladino que carrega agora um fardo que era seu. Ela decide ‘afogar as mágoas’ e fica o resto do dia na taverna bebendo. Quando volta ao acampamento traz consigo o cavalo pesado que comprou do cidadão com o qual ativou a moeda, ja que este não voltou atrás.

Ainda na taverna, ela havia conversado com Todd. Um bardo que inicia sua jornada em busca de histórias boas o bastante para ter alguma chance nas competições de Skald. Ele sabe que um grupo de ‘aventureiros’ salvou recentemente crianças que foram roubadas por uma bruxa. Para sua sorte, a mulher meio-elfa que faz parte desse grupo está ali na mesma taverna que ele e agora poderá conseguira notícia em primeira mão.

Ele sabe que os outros integrantes estão acampados do lado de fora e vai falar com Rurik e Marx. Todd é um homem simpático e acaba agradando até mesmo o bárbaro, então acaba ficando conosco pelo resto da viagem para coletar suas histórias.

Lauren está tão bêbada que não pode se opor a nada. Ela até apoia, mas avisa logo que obviamente ele irá morrer logo. Todd provavelmente não acredita, e até mente que ja matou alguém um dia para parecer mais digno da ‘vaga’ no grupo.

Os vistanis chegam e a breve viagem começa. Eles levaram primeiro todos à Sithicus, depois continuarão com Skaff para Tovag. Então Lauren aproveita para contar ao paldino tudo o que sabre sobre a moeda e como se livrar dela. Isso tudo enquando Victor guia seu cavalo, para que ela não acabe se perdendo nas brumas. Ruik aproveita a situação de sinceridade rara para perguntar sobre Harvard para a meio-elfa. Ela diz algumas coisas vagas, e a medida que todos entram nos dominios de Sithicus sua conversa se mistura com o efeito de arrependimento que cai sobre todos. Todos eles começam a experimentar um sentimento de culpa e lembrar de tudo de errado que ja fizeram em suas vidas.

Em Sithicus Skaff se despede.

Os demais começam a escutar as explicações de Victor sobre o lugar. Ele mostra como o céu é diferente a noite. As constelações são totalmente diferentes e não há Lua.

Agora o grupo só tem de encontrar um lugar para acampar…

Categorias:Resumo

O retorno – Parte III de III

12 / julho / 2008 14 comentários

O dia tem sido horrivel, todos estão cansados mental e fisicamente, além do mais agora o circo está acampado bem próximo, por tudo o que aconteceu durante esse dia, todos vão dormir, deixando a primeira ronda com Lauren. Ela não tem tempo de planejar nada, e na tentativa de que ninguém descubra o que está havendo comete um “erro”. O corvo, familiar do mago meio vistani, está pousado em cima de sua barraca, de guarda. Desde o sonho, os corvos desse mundo infernal sempre demonstram saber muito mais “truques” do que devem, portanto a maio-elfa tem que se livrar da única testemunha. Ela pede para Rocky para que ele espante o corvo para longe “para que ninguém veja o que vai acontecer”. O Racoon espanta o corvo para um lugar longe e arranca os seus olhos para que ele não veja nada. O mago acorda sentindo a agonia que seu familiar transmite através de sua ligação psiquica e sai da barraca para ir atrás do animal.

Lauren fica ali sentada imaginando o que fazer agora que um havia acordado, mas não há tempo. Tudo está silencioso. Ela faz um sinal apra Harvard de que alguém está andando por aí, mas ele não liga e diz para irem logo. Ele pega o corpo de Victor e os dois vão para o bosque.

No acampamento enquanto Rocky se deita perto da fogueira e aguarda o retorno de Lauren, Marx chega, com seu corvo morto nas mãos. Ele acorda a todos quando dá por falta da meio-elfa e percebe que o lugar está envolto numa magia de silêncio. Ele insinua que a culpa de seu bicho estar morto é dela. Rurik então sente o cheiro de Harvard e encontra suas pegadas, além de dar falta do corpo de Victor. Ele começa a seguir a trilha, e afirma que Harvard é capaz de tê-la levado sem que ninguém tenha percebido, mesmo que não haja sinais de briga nem pegadas de Lauren. Enquanto isso acontece, Rocky avisa Lauren que estão sendo seguidos.

Harvard dá o corpo de Victor para que Lauren segure e começa a tirar seu manto. Na frente dela, ele se transforma num lobo gigante e ordena que ela suba em suas costas para que eles possam andar mais rápido que os outros. Rurik percebe que houve uma mudança nas pegadas, e sabe que eles estão indo muito mais rápido do que a maioria consegue acompanhar. Ele resolve usar seu lobo para ir atrás do clérigo maligno, mas volta ao acampamento para buscar a espada do pai de Victor. Quando ele entra na cabana, começa a ouvir uma canção de ninar que o faz lembrar da Terra dos Pesadelos. Lá fora encontra o guaxinim cantando e olhando para ele. O bárbaro se assusta e se irrita, e parte para cima do animal, pronto pra lhe acertar um chute quando este começa a falar “Não é isso que nosso mestre deseja…“. Ainda mais assustado o bárbaro para bruscamente e começa a ouvir “A minha função é acompanhar a mulher. Ela quer o amigo de volta“. Rurik então compreende e continua para encontrar Harvard, esperando que ele já tenha terminado quando ele achá-lo.

Muito afrente dos outros, numa clareira iluminada pela Lua Harvard para. Ele começa a o ritual falando de um modo incompreenssível, O sacerdote pede prata em pó à Lauren, que é misturada com água e espergida em Victor. Uma parte do ritual é terminada com um uivo muito alto, que atrai dúzias de lobos, que cercam os três e observam tudo. Harvard pega então um dos diamantes e coloca na testa do arquivista, e a medida que Harvard continua suas orações ele é absorvido por seu corpo.

Lauren segura a mão e a testa de Victor e ora para que a sorte faça com que aquilo tudo de certo. De olhos fechados mas imaginando a terrivel presença de todas as criaturas que estão ali os cercando.

Então, Victor acorda…

Lauren tenta esconder a princípio o que aconteceu, para evitar o choque de Victor. Ele pergunta se ele conseguiu salvar as crianças, se Rurik o machucou muito, a quanto tempo ele esteve dormindo… Ela dá resposta a la Lauren, mas no meio da conversa Harvard interrompe, já como humano novamente. Victor senta-se espantado e percebe que estão cercados também.

“Você me deve sua vida rapaz”, Harvard avisa e vai embora. Os lobos abrem caminho e depois o seguem.

Victor fica em silêncio, e começa a desenhar um símbolo de Mystra na neve, de repente ele o apaga e começa a fazer outro. O símbolo que há em sua espada, do Deus Paladine.

Lauren não entende o silêncio de Victor e começa a chorar e lamentar o que fez. Desde o início ela sabia que não era o certo. Quando eles trouxeram Skaff de volta, isso parecia tão importante para todo o resto do grupo que seu apoio era inevitável, até mesmo a ponto de convencer Hagen de que também devia participar de tudo. Desta vez não, tinha sido uma decisão sua! Indo contra tudo o que sua mãe e seu pai lhe ensinaram, sobre o valor da vida e da morte, do equilibrio e da não interferência. Além disso, teria que pedir isso a Harvard, o homem que jurou que irá lhe usar como isca e que mata pessoas a sua volta para lhe aterrorizar. Mas seria a pior coisa trair seus próprios princípios morais, ou continuar com toda as ‘obrigações’ de salvar a Terra das Brumas da presença dos cavaleiros, continuar até o encontro com Hyde e os problemas que enfrentam no caminho, continuar a procurar uma saída desse mundo, ou apenas continuar a viver ali sem a única pessoa que nunca a julgou como uma bandida… Não! Ela não ia deixar isso acontecer, ela ia trazê-lo de volta, mas agora… tudo não parecia mais tão simples como antes…

Pouco tempo depois, Rurik, Marx e Skaff, chegam à clareira e vêem Victor vivo.

Skaff demora até se tocar do que está vendo.

Rurik entrega a espada de Victor e pede desculpas pelo que fez. Aí começa a “farejar” Harvard, mas Victor interrompe sua tentativa de ir atrás do clérigo.
“Eu preciso descançar, vamos embora…” – Ele dá a mão para que Lauren se levante de onde está e dirige os demais para a trilha.

Todos chegam de novo ao acampamento e dormem depois de um dia típico na vida de um grupo de aventureiros..

Categorias:Resumo

O retorno – Parte II de III

12 / julho / 2008 Deixe um comentário

Voltando para o acampamento Marx que ainda não havia visitado o circo, olha algumas de suas barracas mas em especial entra para conhecer a de Madame Fortuna*.

Ela demonstra mais uma vez a capacidade ver mesmo com seus olhos cegos. Pede que Marx coloque sua placa de anuncio no lugar e entre para conversarem. O “giomorgo” pergunta-lhe sobre seu futuro, e como será suas viagens pela Terra das Brumas longe de sua antiga compania de vistanis e agora com seus novos conhecidos.

Obviamente a resposta não é nada boa. “O seu caminho é negro, uma cavalgada sinistra para você”, e esse é só o começo. Ela tenta avisar a Marx sobre o que vai encontrar junto desse grupo de amaldiçoados, os cavaleiros que estão despertando e que trarão a desgraça as Terras da Brumas (como se não existisse nenhuma agora…). “A morte já cavalga no seu encalço”. Não tenho muita certeza de Marx entende o que isso significa (pois até agora nenhum de seus ‘companheiros’ lhe alertou atrás de que eles estão indo em Sithicus), mas a segunda parte da conversa até pode vir a lembrá-lo dos seus “conselhos” quando encontrar nosso amiguinho vistani de seis dedos. Ela faz mensão a Karlas, e diz que ele necessariamente não é seu inimigo, mas que isso só significa que “aquele que todos os vistanis temem” pode o usar para seus próprios propósitos.

Quang Fei aparentemente termina seu ritual de purificação e vai para o circo de onde não volta pelo resto da noite.

Lauren havia ficado ali sentada ao lado da barraca de Victor por toda a tarde, viu seus companheiros chegarem, descançarem e conversarem, mas não prestou atenção em nada daquilo. Quando começou a anoitecer a meio-elfa foi para a parte de trás da vila onde estava o inicio da trilha por onde andaram, local onde os últimos vestigios de atividades de Harvard foi visto. Ela ficou parada, encostada na cerca, fitando o bosque, esperando…

-Está me procurando Miss Potty? – Uma voz surgiu do nada, sem que ninguém estivesse ali para lhe dizer as palavras, mesmo assim Lauren então respondeu, sem certeza alguma de que isso daria certo -Sim.., eu preciso de um favor seu, como sacerdote… – Como se pedir um favor a um demônio não tivesse mesmo preço algum.

Lauren conta para o clérigo de Malar o que havia acontecido, o pedido parece um tanto inesperado, mas ainda assim ele sugere que se matassem o bárbaro poderia acabar com a raiz do problema. Segundo ele agora ela lhe devia mais um favor, mas ele concorda em trazer Victor de volta. Para isso precisaria de um diamante “grande e límpido como a alma de seu amigo”. A meio elfa lhe entrega dois diamantes que havia pego na casa de Mikail, que espera que sejam suficientes (aaahhhhh 200k!!! <o>), diz para que Harvard espere até que ela fique sozinha de guarda no acampamento, para conseguir tirar o corpo de Victor de sua barraca.

O retorno – Parte I de III

12 / julho / 2008 7 comentários

Depois do último grito de dor de Rurik, Willian cuida do corpo de Victor.

Skaff usa as cortinas para ajeitar os outros corpos (das crianças), para que sejam levado depois.

Rurik e Willian distraem-se investigando as coisas que seus inimigos carregavam. Rurik fica com um anel que encontra na bolsa da Velha. Já Willian se arrisca a pegar uma mão de cera (um tipo de vela que possui os pavis nos dedos, sendo que sobram apenas dois deles para acender).

Depois de conversarem, fica acertado que o mago Marx e o paladino Skaff, ficarão aguardando o retorno das pessoas da vila para buscar os corpos de suas crianças.

Rurik segue a trilha carregando o corpo de Victor, Lauren logo atrás com a criança que estava sendo devorada no colo e Willian caminha com as demais crianças.

Ao se aproximar da trilha propriamente dita, Rurik sente o cheiro de sangue e pede para que seus dois companheiros aguardem enquanto ele vê do que se trata. O bàrbaro encontra pedaços do que foi um dia o caçador Reini. Percebe que o coração foi devorado e que adiante sua mão está pregada numa árvore formando o simbolo de Malar.

Ele avisa aos outros que seu ‘amiguinho lobisomen’ andou almoçando e está por perto, então desvia do corpo para que as crianças não se assustem mais.

Enquanto os três caminham para a vila, Marx que estava encostado na mesa e olhando despreocupado para o nada, retorna de seu choque. Ele sofre uma súbita perda de memória, e já não lembra de nada que vira dentro da casa. Ele olha espantado para Skaff e pergunta o que ele fez com as crianças, pois o paladino é o único ali com ele, ao lado dos corpos. Skaff pergunta se ele está bem e tenta por o mago apar de novo da situação.

Quando os aventureiros saem do bosque avistam os vagões do circo. Caminhando para a entrada da cidade vêem Quang um pouco ferido e Isolde com quem conversa. Lauren diz para Rurik colocar o corpo de Victor dentro de sua barraca e aguardar fora dos portões. Quang se aproxima e recebe a notícia de que seu companheiro está morto. O santo repete “Eu disse para vocês não irem lá! Aquele lugar era do Mal! Era perigoso!”.

Lauren entra na casa comunal que está uma bagunça. Entrega a criança em seu colo direto nas mãos do Meistsinger e diz “Que bom que o circo chegou a tempo para provar que não eramos culpados, não é?”. Harkon Lukas que também está presente não diz nada. Uma das garçonetes do local vem para cuidar de ‘encaminhar’ as crianças para seus pais. A meio-elfa, que está sem sua capa, pede a carroça com o corpo do pai de Victor para “colocar o corpo do filho junto do pai”.

Lá fora Lauren abraça Quang e o leva para a barraca de Victor.

Antes que Quang veja seu amigo, ele, Lauren, Skaff e Willian conversam. O monge diz que foi atacado por lobos e um lobo grande quando tentava encontrá-los novamente dentro da floresta pois o grupo estava demorando muito. Ele não acredita que o lobo se trate de Harvard, pois era bem diferente do clérigo de Malar que eles conhecem bem até demais. Conta então que o que o salvou foi a chegada do circo e de Isolde.

O monge se retira e começa então a fazer suas orações e prepara o corpo de Victor num ritual de purificação.

Lauren pergunta se Willian é capaz de trazer Victor de volta com seus poderes de sacerdote, mas o clérigo do Legislador diz que só alguém com tamanho poder como o de Harvard pode trazê-lo de volta do jeito que era antes.

Rurik e Willian se voluntariarizam para ir até a cabana e trazer os corpos das crianças de volta para cidade junto com homens da guarda local. Eles encontram apenas Marx, pois Skaff está sob o efeito de uma magia de invisibilidade e voando em direção ao acampamento.

Os soldados retiram os corpos das crianças e ateiam fogo na casa, queimando os corpos dos monstros que ali viviam.

Categorias:Resumo

Post Temporário…

12 / julho / 2008 11 comentários

Esta mensagem se auto-destruirá assim que os resumos forem atualizados.. BIP!

Bom, só pra quem não vai pras sessões saberem:

O Victor Morreu(pq o Rurik matou ele), e depois voltou (pq o Harvard ressucitou ele).
O Quang foi embora com o circo(pq não queria que o Rurik matasse ele), e depois o Skaff foi embora tbm (pq tava cansado de fazer parte do grupo dos mauzinhos).. aí entrou um bardo no grupo! o Toad(novo personagem do Alan), pq a Lauren tava bebada e não podia dizer prele não entrar e pq o Rurik achou ele moh legal.. já o Toad achou a mão.. quer dizer a falta da mão do Rurik legal (que foi culpa do Harvard…)

Bom, um dia vcs entendem é só eu perder a preguiça e escreve os dois últimos resumos.., tenham paciência.. xD

Categorias:OFF

Álbum de férias

11 / julho / 2008 Deixe um comentário

O Grupo de Jogo está em constante modificação. A vida leva alguns dos amigos pra longe e aproxima outros. Por volta desses três anos de campanha muita informação e brincadeira se perdeu pelas mesas bagunçadas e os chats noturnos na internet.

Aqui no meu computador existem três imagens que eu quero monstrar para os demais e para quem está começando a entender mais da história da campanha.

As duas primeiras são partes dos portraits da guilda que a Lauren fazia parte.

A terceira é outra brincadeira com o Oots que ficou bem tosco.

1º – Foto da Lauren de máscara

Você acha ruim ser semi-humano na Terra das Brumas? Experimente então andar por ai com uma máscara que não sai da cara!

2º – Foto do NPC malvadão de nível épico que atormenta o grupo

Uma foto de um dia em que ele estava de bom humor e arrumado pra entrar na taverna em Toril. Agora imagine Dr. Harvard depois de vários testes de poder, rosnando e se transformando em lobisomen na sua frente enquanto mastiga o coração de alguém…

3º – Rocky, master thief

Um guaxinim demônio companheiro de um ladrão não é bastante ruim. Ele ainda tem que irritar você por ser o segundo personagem mais rico do grupo porque rouba sozinho!

Categorias:OFF, Personagens