Arquivo

Archive for agosto \31\UTC 2008

Num reino bem… bem distante…

31 / agosto / 2008 5 comentários

Os empregados começam a fechar as janelas e apagar um pouco da iluminação. A sala fica mais sombria enquanto Lauren e Alanor continuam dançando. E num instante, os dois começam a saltar nas sombras.

Após algum tempo, já cansada Lauren o deixa continuar sozinho e no meio da conversa novamente discute dizendo que não pode ficar ali para sempre. Alanor então diz que é sempre assim.., ele traz pessoas ali, mas no fim elas só pensam no que ELAS querem.. A meio-elfa tenta ofendê-lo que isso é típico da arrogância dos elfos e ele repete que definitivamente não é um elfo!

Mas ela terá bastante tempo para pensar em tudo e mudar de idéia sobre ficar ali ou não, pois ficará trancada na torre mais alta do castelo por um longo.. longo tempo.

º º º

O castelão pede que a falsa Lauren vá chamar a verdadeira, mas depois de algum tempo o que chega a porta é um elfo que parece usar magia e tráz consigo um pequeno exército de guardas.

Como apenas Todd concorda em entregar as armas e ficar quietinho recebendo ordens, uma briga começa. Ou melhor, Rurik começa a brigar e cuida dos guardas. Aliás não só dos guardas ele quebra suas armas junto de seus ossos.

Marx consegue impedir que o elfo lance algumas magias sobre o grupo, enquanto Victor tenta derrotá-lo com a espada de seu pai.

Dimitri aproveita da distração do castelão que pula nas sombras da sala fugindo e entrando na sala, para atacá-lo na garganta. E enquanto ele desfacele Victor o decapta.

Em meio a confusão Willian barra a porta para que ninguém mais saia ou entre na casa e Rurik cuida de eliminar o restante dos guardas.

º º º

(Tá, não foi tanto tempo assim.. pq depois do longo.. longo.. longo tempo…)

No alto da torre do palácio Lauren vê a confusão lá embaixo. Ela tenta sair do quarto (que parece ja ter serivido apra abrigar algumas outras mulheres), mas a porta foi encantada para não poder ser aberta. A barra da grade da janela está solta mas a distância do chão é bem grande.

Enquanto olha o que acontece com o que parecem ser seus amigos.. ela percebe uma coisa subindo a parede, se aproximando cada vez mais da janela até adentrar a mesma.
Trata-se de uma aranha que entra e para bem no meio do quarto e começa a falar!

A aranha quer vingança! xD

Na verdade esse pequeno ser, explica que Alanor tomou o reino para si e começou a perseguir todos que eram difrerentes do que ele achava ser a perfeição para o seu “paraiso”. Por isso pessoas como ele (que por acaso foi o responsável por trazer Alanor até aqui), tinham sido quase extintas..
Ela propõe uma troca. Lauren promete que seus amigos acabam com a vida de Alanor e ele a tira dali agora mesmo.

Na falta de um programa melhor ela resolve aceitar sair dali…

Então a aranhazinha se transforma num Dryder enorme! Que abriu a porta com a ajuda de magia…

Lauren então consegue fugir do castelo e encontra seu grupo novamente na casa anexa ao palácio, quando Willian (com o auxílio dos conhecimentos do Bardo Todd) lança uma magia que simula o sol (ao qual as fadas das sombras são sensíveis) e faz com que els ganhem tempo.

Eles já podem conversar e ver se esta é realmente a Lauren e porque diabos ela tem uma aranha no ombro que FALA!!!

Anúncios
Categorias:Resumo Tags:, , ,

Portal para Neverland

16 / agosto / 2008 3 comentários

Lauren não faz idéia de onde esteja… Ela encontra suas coisas num baú, perto de uma pentiadeira. E enquanto se troca percebe uma coisa bem estranha, ou… interessante. Neste lugar estranho tudo que é de metal é feito de prata ou ouro. Um lugar muito feliz pra se passar uns dias e levar souvernis.

A paisagem na janela mostra uma vila, além do muro deste lugar que aprece um castelo. O dia está um pouco escuro, como se estivesse ainda para amanhecer… ou quem sabe para anoitecer…

Ela desce as escadas desconfiada, ouvindo vozes e música do andar inferior. Ela espera para tentar reconhecer a conversa, mas a lingua apesar de parecer com élfico não é muito compreensível.

Em certo momento Alanor percebe que ela está no pé das escadas. Ela a convida para a mesa e a festa. A meio-elfa pergunta como ela veio parar ali e o elfo estranho diz que ela devia ter bebido muito e acabou desmaiando, mas ela lembra de não ter bebido nada. Pergunta sobre a lingua que conversam: Arak.

Lauren pergunta porque foi trazida ali dessa forma inconsciente e porque seus amigos não vieram também, principalmente seu guaxinim.

Alanor começa a ficar irritado, grita com a banda depois que Lauren diz que não está gostando daquilo. Então ela tenta ir embora quando ele diz que não a levará de volta, mas chega apenas ao pátio onde os guardar dizem não saber como se chega em Sithicus. Ela volta e continua insistindo e perguntando porque a trouxe dessa maneira e não quer lhe dizer como voltar…

A ladina fica um tempo olhando pela janela pensando no que fazer. Alanor se aproxima e pergunta se ela vai ficar ali emburrada ou vai aceitar dançar com ele. Ela pergunta se ele vai lhe levar de volta se ela dançar e então aceita…

ººº

Rurik chega devolta à clareira guiando os demais assim como faz dentro da caverna onde Rocky indica Lauren ter sido levada. Na parede onde o guaxinim tentava raspar com as garras, Dimitri encontra mais runas como as encontradas nas pedras perto da clareira. Victor e Marx sabem que se tratam de runas mágicas, escritas em algum idioma parecido com élfico. Dimitri espera que os dois tenham uma distração momentânea para tentar usar suas habilidades ladinas. Ele dá seu jeitinho e o mecanismo mágico começa a reagir. “Ow, você deve ter algum ancestral elfo na família!” Alguém diz , depois de ver o meio-vistani grunhindo algumas palavras.

O portal se abre na rocha e do outro lado existe apenas escuridão. Ninguém está muito disposto a descobrir na tentativa e erro para onde ele pode levar ou o que pode acontecer, mas infelizmente ALGUÉM tem de ir…

ººº

Do outro lado do portal a vista mostra uma vila, com um palácio ao fundo. Na vila onde existem criaturas que parecem elfos e kenders. Seus habitantes dizem que o grupo se encontra no Reino de Alanor, e o palácio ao fundo é dele, mas não viram Lauren por ali. Mas sabem que Alanor tem uma convidada. Mesma história confirmada pelos guardas e o castelão.

O grupo é levado para ver a convidada de Alanor. Eles chegam a uma casa adjacente ao castelo onde encontram Lauren. Ela está com um vestido sentada numa poltrona. Ela recebe seus amigos e diz que não irá embora. Que ficará ali para que Alanor lhe ensine algumas coisas e que eles podem ir embora sem ela e termina pagando Dimitri por seus serviços como guia.

O grupo acha estranho que Lauren de repente não queira mais continuar com eles abandonando a missão e seus probelmas pessoais. Victor é o mais desconfiado então lê a mente da criatura…

Não é Lauren. Ele faz um sinal para que Rurik perceba seu cheiro diferente. E agora tabém sabe. A prova final é o momento em que Rocky é entregue a ela e o guaxinim a ataca.

Eles chamam o castelão e dizem que querem falar com sua amiga e não uma sombra dela…

Elfos felizes e saltitantes – II de II

9 / agosto / 2008 2 comentários

Numa viela Dimitri aguarda que alguém esteja descuidado esta noite. Ele nocauteia um elfo com o cabo da espada. Arrasta seu corpo para um beco e começa a se alimentar de seu sangue quente. Desta vez o sangue parece melhor. Talvez seja o tempo que esteve sem se alimentar, talvez o sangue élfico seja realmente bom, ele não sabe. A única coisa de que tem certeza é que desta vez o sangue escorre por sua garganta e o aquece, sentindo um prazer do qual nunca havia experimentado…
(Ou seja, Dimitri: Nível de Poder 1)

Quando retorna o dhampir esbarra na porta, fazendo com que a espada produza barulho, que acorda alguns. Ele disfarça e acende a luz, arrasta uma cadeira e senta examinando a esma, como se não se importasse que alguém o visse com ela, não tivesse feito nada errado. No entanto Rurik sente cheiro de sangue e diz: “Eu não sei o que você fez de errado, agora devolva a espada onde você a pegou”.

Enquanto os dois conversam, Lauren acorda com todo o barulho. Ela fica atenta aos barulhos que vem de fora de seu quarto, ao ponto de perceber que alguém está andando em volta dele. Ela veste uma capa e pega a espada de seu pai. Mas ao abrir a porta não vê nada. Ao menos não antes que uma voz saia da escuridão e se deixe detectar.

“Eu não sabia que iria encontrar companhia tão bela aqui”, Alanor , o elfo que levou Dimitri para festejar anteirormente, diz saindo das sombras. A meio-elfa desconfia do estranho como sempre, e exige explicações. Ele ignora e bate a porta de Dimitri para convidá-lo para outra festa. Os demias, como Rurik e Todd também resolvem participar. Apenas aqueles que necessitam descançar para utilizar suas magias no dia seguinte permanecem.

Lauren diz que não tem interesse em acompanhá-los, as espera que o grupo saia, para seguí-los em segredo. Victor sabe disto e a vigia através de uma magia (status), mas acaba dormindo com o avançar da noite.

Mais uma vez Dimitri encontra a clareira onde os elfos se reunem para dançar, comemorar, beber e namorar. O mesmo lugar que esconde segredos. Perto da clareira mais uma vez podem ser vistas formações de pedras, que possuem inscrições aparentemente mágicas, numa lingua que mantém algumas características élficas.

Tudo ocorre como antes. Bastante bebida e dança. E de novo, todos os que não são elfos caem exaustos e bêbados. E, como ninguém mais pode vê-los, os elfos começam a dançar de forma diferente. Eles começam a desaparecer nas sombras , reaparecendo em lugares opostos. Lauren que observa entre as árvores fica impressionada. Além de ocultarem-se muito bem, possuem a habilidade de se locomover pelas sombras num piscar de olhos.

Ela esquece que está ali para garantir a segurança dos demais e senta-se perto da fogueira. Ela é convidada para dançar, mas está mais ineressada em saber como eles podem saltar nas sombras daquele modo. Ela pergunta se ele (Alanor) é capz de ensiná-la a fazê-lo e ele afirma que sim. Lauren dança com ele, até ficar exausta também, e mesmo não experimentando de sua bebida, cai no sono.

De manhã, os três homens acordam. Dimitri encontra a mochila de Lauren e vê Rocky por ali. Rurik identifica a mochila e também entende que o guaxinim tenta mostrar algo. Ele vai a té a parede de uma caverna e raspa com as garras, indicando que Lauren está lá.

O bárbaro corre até a estalagem para chamar os demais…

Enquanto Lauren acorda em uma cama, com uma camisola que não é sua, num quarto muito bonito e que também não é o seu…

Elfos felizes e saltitantes – I de II

9 / agosto / 2008 3 comentários

O dia amanhece escuro e frio. As árvores colaboram bastante para isso. O grupo todo acorda um tanto desanimado, efeito deste lugar. Cada um pensa no seu passado e seus problemas o que os deixa muito distraídos.
Para completar o desânimo, eles encontram em meio à floresta uma cidade cinza de apatica. A cidade de Kar-thor não os recebe bem, na entrada elfos conversam com Lauren e Rurik (na verdade Rurik não entende o dialeto élfico). Estamos a leste de Har-thelen, precisamos de mantimentos e um lugar para descançar.
Quando o bárbaro e a ladina voltam buscar os outros na estrada, Lauren e Victor caem no assunto do porque ele tinha de vir para Sithicus (Terra dos Espectros, no dialeto local) realmente: Para encontrar um Cavaleiro da Rosa, Lord Soth, Grão-mestre da Ordem de Solanmia. Ele ainda assusta mais o grupo dizendo que os elfos ali são maus e que não os tratarão bem, o que de fato acontece.

Andando na frente do grupo à cavalo, Lauren tenta identificar uma estalagem. Ela é então abordada por um humano (o único visto por ali). Trata-se de Dimitri querendo arranjar algumas moedas como guia pela cidade. Ele acaba convencendo e ganha o seu almoço pela estalagem indicada. Na mesa da estalagem o grupo é muito mal atendido. A comida demora e vem fria, todos os elfos são atendidos antes, e cobram muito caro pelos pratos ruins. Obviamente os elfos odeiam a todos que estão ali.

A meio-elfa que paga pela refeição reclama do preço, então quando vai para a mesa para pegar suas coisas e sair, percebe que Rocky afanou a bolsa de alguém. Ela dá um jeito de se livrar dela mais tarde, o que eles menos precisam agora é motivo para que os elfos comecem a enxotá-los dali.

Para saber melhor sobre este reino, Dimitri guia a todos para a biblioteca. Lá Victor aprende novas magias, como a de Cópia. Dimitri adquire conhecimento histórico sobre o lugar (sabendo assim que Alanor é da linhagem real, do seu irmão o Rei Lantharolan, e que está desaparecido há anos. Sabe também que outro dos “festeiros”, Kaladon escreveu muito sobre os Ritos e Lendas locais). Lauren faz uma cópia do mapa da Região e do Núcleo (sabendo agora a direção de onde vieram e a direção dos caminhos até a Falkovnia).

Enquanto aguardam aqueles que querem copiar algo do interior da biblioteca, Dimitri e Todd conversam sobre como é estranho o céu de Sithicus. Todd dizia que há uns poucos anos atrás, surgiu uma lua branca e uma vermelha, elas se “eclipsaram”, formando o que os elfos nativos chamam de “O Olho”. Nessa mesma noite, a fortaleza de Soth colapsou e desmoronou, ficando no meio de um precipício que se abriu no local, após isso o “Olho” se desfez e apenas a lua branca ficou no céu, como no resto do Núcleo. Há pouco tempo, no entanto, a lua branca desapareceu completamente, deixando apenas um espaço negro no céu, como era antigamente.

Já é tarde, então procuramos um lugar para dormir. Numa estalagem, conseguimos quartos separados dos demais clientes. Obviamente sua qualidade é muito inferior, mas vem a calhar eles estarem em uma meia-água separada do prédio principal.

Dimitri espera que todos se ajeitem e durmam, então pega a espada que Rurik carregava e observava, a qual parece ter algum encantamento (a espada de Hans). Ele , por sua natureza necessita de se alimentar de sangue fresco. Então na surdina sai de seu quarto para encontrar uma vítima. Entretanto, antes de sair da estalagem, Dimitri observa Victor, obviamente tentando se escoder no escuro, agaixado num canto falando com alguém. Ele chega mais perto e percebe que o homem estranho segura uma cabeça nas mãos. Ele decide que não vai se intrometer com o estranho e nem julgar suas práticas e parte para fazer algo mais importante…

Post Temporário… 2

9 / agosto / 2008 Deixe um comentário

Só pra lembrar para quem não reparou nas datas dos posts, que eles estão atrasadíssimos, portanto existem duas ou três sessões de lapso entre o blog e a realidade.

Atualmente o grupo já se encontra em Sithicus, ou se encontrava, pois enquanto lá estavam se preparando para seguir pelos caminhos que levam Victor a se tornar um cavaleiro de solâmia e encontrar pistas de onde estão as seitas que pretendem despertar os “cavaleiros do apocalipse”; o grupo conheceu alguns shadow feys, que vieram a sequestar Lauren (que obviamente teve sua parcela de culpa no caso). Agora os demais estão tentando resgatá-la de um palácio, localizado num domínio sombrio (também conhecido como… bom deixa pra lá… é melhor dizer depois.. =p).

Categorias:OFF

Galeria Fábrica de Heróis 3

4 / agosto / 2008 2 comentários

Nesta última parte da galeria mostramos personagens que nem jogaram ainda e um painel de todos os personagens juntos:


Personagem Y do Jogador X


Dimitri


Hans


Stuart


Os Amaldiçoados

Galeria Fábrica de Heróis 2

4 / agosto / 2008 3 comentários

Continuando a Galeria de her… de… bom.. do grupo:


Quang


Duas-Luas


Willian


Marx


Todd

Agora faltam só alguns. Ou alguns remakes pra quando alguém discordar. heh

E como disse o Aureo, se não tem a aparência certa pelo menos todo mundo vai imaginar de alguma forma parecida. =p

Aguardem a Galeria 3 em breve..