Início > Resumo > Lá em casa a panqueca era de areia – I de III

Lá em casa a panqueca era de areia – I de III

Chega de história sobre o circo de horrores que é esse grupo de aventureiros.
Vamos começar uma coisa nova hoje pra variar:

Myrmi Deadsilk chega a Terra das Brumas, mais precisamente ao centro de uma cidade cercada e muito, mas MUITO, estranha. Ela é habitada por humanos que tem armaduras de metal! Céus! Que lugar é esse?

Todos eles estão olhando aterrorizados a criatura que ele acaba de matar. Um Tri-keen! Rasgado ao meio pelas espadas de ossos de Myrmi, castigo pela traição e pela morte de sua mulher.

Ao ver a carcaça da criatura e o guerreiro ensanguentado, os humanos estranhos tiram as armas de sua posse e o chutam para fora da cidade cercada, com o corpo de sua mulher nos braços e sem destino certo. Caminhando contra o vento, sem lenço e sem documento… ops! Não.. documento ele tem agora, foi fichado na cidade e DEPOIS chutado!

O guerreiro resolve dar uma volta por um negócio que ele nunca viu então! Ele tem umas coisas altas com o tronco marrom e a cabeça verde! E no meio disso (onde o chão também é verde) existe um estrada de água que vêm correndo do norte. Isso é a coisa mais estupenda que Myrmi já viu em sua vida toda. É como se fosse um paraíso. E é ali no meio deste lugar esplendido que ele deixará o corpo de sua amada descansando para sempre.

Mas este paraíso é tão bom que Myrmi recebe até uma recepção calorosa de seus habitantes. Três homens armados vêm para cima dele para lhe dar aquele abraço! Mas como nas suas mão eles tem algumas espadas e facas o abraço é meio incômodo. O Guerreiro não entende porque do nada surgem esses malucos querendo matá-lo. Seriam ladrões? Seria o fato dele ter entrado no rio? (quem sabe o rio é sagrado!?) Será que ele está vestido inapropriadamente? Quem é que vai saber. Mas antes matar a ser morto! Ele esmaga todos eles (literalmente). Até aparecer um 4º sujeito.
Esse é diferente…

Ele estende a mão, fala umas esquisitices e ressucita o homem que acabou  de morrer.. (credo…) E pior! Vem dizendo que vai dar emprego de guerreiro na arena. Bom, se Myrmi quiser ele volta…

Mas que voltar o que!? Ele quer é passear, ser feliz, viver no mar de plantinhas e seguir o Rio!

Infelizmente… nós ainda estamos em Ravenloft e isso não será possível.

No caminho aleatório, ele encontra uma caravana e resolve avisar sobre o maluco lá de trás. E sei-lá-porque, todos os homens saem correndo atras do doido deixando uma mulher na carroça. A mulher faz umas perguntas e ele acaba entregando que acbou de chegar e enterrou sua amada. Que miséria… a estranha conta que o maluco da ponte é um .. ‘bruxo’ que provavelmente roubou o corpo de sua mulher… e é verdade! O corpo do meio da floresta sumiu e agora… Ah! Agora esse maluco vai morrer por isso!

Anúncios
  1. BReu
    26 / janeiro / 2010 às 6:28 am

    CURTI!!!!!!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: