Ravenloft – A Terra das Brumas

Ravenloft é um mundo, não, mais do que isso, é um semi-plano formado dos pedaços de vários mundos. Um semi-plano é uma pequena dimensão, com suas próprias cosmologias e leis físicas e naturais. Ravenloft (ou a Terra das Brumas, como os nativos chamam o local), é regida por forças invisíveis, com poderes semelhantes a deuses, conhecidos simplesmente por Poderes Sombrios, e os dedos com os quais tocam o mundo são as Brumas.

As Brumas cercam todos os territórios em Ravenloft, tornando impossível mensurar o tamanho daquela dimensão. São as Brumas que vão até outros mundos e sequestram para essa terra sinistra pessoas, locais e até mesmo reinos inteiros. Elas são capazes de distorcer tempo e distância, e alterar a natureza das coisas. E são elas as responsáveis pela característica mais marcante desta terra: seus continentes são formados por reinos vindos de outros mundos, unidos entre si de uma forma não natural e circundados por uma muralha de névoas eternas.

E estreitamente ligada a cada reino, está uma figura conhecida como Lorde Negro. Cada Lorde Negro reside em uma porção de terra (ou domínio) seu, que pode ou não estar ligada a outra porção de terra, e à qual ele está preso e efetivamente governa (mesmo que nem sempre na forma de um governo secular). Cada Lorde Negro é uma criatura de puro mal, além de qualquer redenção, tragada para essa terra sinistra e presenteada com um domínio só seu, sobre o qual recebe poderes sobre a própria terra (como a habilidade de não permitir que ninguém entre ou saia do território). Ele está para sempre preso em seu domínio, incapaz de fugir de sua prisão, independente de seu poder, e junto com os novos poderes, recebe uma maldição como punição interminável pelos seus atos de suprema maldade que atraíram a atenção dos Poderes Sombrios.

Apesar dessa característica de punição do mal, a Terra das Brumas parece ser um local onde o mal floresce com toda a sua força. Cada ato de maldade pode ser recompensado com um poder e uma maldição, ao mesmo tempo facilitando realizar o mal e utilizando de justiça poética para punir o perpetrador. Criaturas malignas rondam na noite, e o sobrenatural se esgueira por cada canto. O povo é supersticioso e desconfiado, tratando os estranhos com pouca hospitalidade. E ainda assim, do meio de todo esse medo, horror e loucura, surgem os heróis e aventureiros dispostos a trazerem justiça a um mundo cruel, luz a essa terra sombria, e bondade nesses reinos onde impera o mal. E é nos papéis desses “heróis” (seja por escolha ou por obra do acaso, por altruísmo ou por objetivos menos nobres) que os jogadores entram na história.

Uma das características mais marcantes do cenário é sua forte inspiração em fontes literárias, especialmente a literatura Gótica e a literatura de Horror. O mundo é cheio de personagens, locais e eventos análogos aos presentes na literatura, e mais raramente, no mundo real. Em Ravenloft pode-se encontrar um paralelo de personagens famosos como Drácula, Dr. Van Helsing, Frankenstein e sua Criatura, Dr. Jekyl e Mr. Hyde, Dr. Moreau, e até mesmo um Pinnóchio bem pouco amigável… Dessa mesma forma, personagens de outros cenários famosos de RPG também são presentes, sugados contra sua vontade de seus próprios mundos. Torna-se assim um mundo onde praticamente tudo é cabível, desde que adaptado a umas poucas regras básicas para manter o clima de horror gótico do cenário.

O sistema de jogo adotado por nosso grupo para as aventuras de Despertar do Medo é o D20, com algumas alterações e regras da casa, para aproveitar melhor as várias possibilidades que o cenário nos oferece, e ao mesmo tempo, melhor aproveitar o material fornecido pelo sistema antigo do AD&D Segunda Edição.

Entre e fique a vontade para descobrir o que acontece após o despertar do medo…

  1. Luciano
    11 / janeiro / 2012 às 5:08 pm

    Ola legal seu texto ,apenas algumas incoerencias ,mais mesmo assim legal, nas regras novas os lorde saem de seus dominios bem algums mais fortes kkkk,voce joga RPG? acho que deveria jogar se se ainda nao joga ,ja jogo a muito anos e por acaso vi seu texto ,parabens escreveu coisas legais ,visite nossa pagina RPG Barreiro ,no Orkut ate mais

    • 11 / janeiro / 2012 às 5:20 pm

      Sim, jogo RPG a 18 anos, e essa é a página de uma campanha que mestrei para meu grupo, mas que já se encerrou. E mestro Ravenloft a bem mais de 10 anos.

      Gostaria de saber quais são as incoerências que você falou, e também de que “regras novas” você está se referindo (se for D&D 4ªed, aquilo não é Ravenloft, mesmo que digam o contrário!).

  1. 31 / outubro / 2009 às 4:19 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: